Passado, presente, futuro.

Talvez não seja eu aquela que fará o seu sorriso se abrir e ressaltar de seu rosto mais que perfeito. Talvez não seja eu aquela que terá sua voz como melodia reconfortante depois de um longo dia estressante. Talvez não seja eu aquela que cuidará dos quadros nas paredes da sala, ou dos detalhes coloridos no quarto das crianças. Talvez não seja eu aquela que sentirá o medo tomar conta e apertará sua mão, enquanto o avião se afasta do solo e voa em direção a Paris. Talvez não seja eu aquela que irá ao teu encontro logo depois de tê-lo expulsado com travesseiros e cobertores, obrigando-o a dormir no sofá desconfortável. Talvez não seja eu aquela que, amanhã, sentirá o coração palpitar quando você disser “te amo”. Talvez eu não esteja incluída na sua perspectiva do futuro. Talvez! No entanto, o futuro não importa agora. O passado, muito menos. Devemos viver o presente, esquecer de todo o resto. E, só pra constar, nesse exato momento, eu te amo. Isso basta?
Eu ainda sinto cada célula do meu corpo implorando por você. Mas me recuso a satisfaze-las. Sou forte, sei que consigo.

1 Eu acho que:

Jéssica V. Amâncio disse...

Gostei! Se dependesse de "talvezes" acho que não aproveitariamos a vida de acordo. E o que importa realmente é o agora. Se não estiver arrumando os quadros da parede dele,estará arrumando os da sua.

Postar um comentário